[TESTE] Playstation Move

Numa tentativa de alargar o raio de acção da sua consola next-gen, assim como aproximar toda a franja de casual gamers enfeitiçada pela Nintendo com as suas Wii e DS, a Sony apresentou na GDC deste ano o seu Playstation Move para a Playstation 3.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe Botão PS

O interesse gerado à volta do anúncio foi imediato e muitos ficaram com a pulga atrás da orelha para ver que coelho a Sony iria tirar da cartola para contrariar o ascendente da Nintendo neste mercado assim como a chegada do Project Natal da Microsoft, entretanto renomeado Kinect.

Desde então muito se tem falado sobre este sistema de controlo até que, a semana passada, a Sony teve a gentileza de nos emprestar um Move, com 5 jogos, para podermos testar e partilhar convosco todas as nossas opiniões em mais um Teste RD.

Muitos afirmam que o Move acaba por ficar a meio caminho entre o sistema da Wii e o Kinect, juntando o melhor dos dois mundos: temos uma câmara que permite detectar movimentos com mais precisão mas mantemos um comando na mão, com botões em que podemos carregar.

Será esta a melhor solução? É claro que a Sony acredita que sim mas a nós cabe-nos dizer-vos, de forma clara e isenta, tudo aquilo que pensamos sobre este sistema. Para isso não precisam de segurar o rato no ar, em frente à webcam, nem fazer nenhum tipo de movimento. Basta continuarem a ler este Teste RD ao Playstation Move! ;)

Apresentação

Tal como disse mais acima, a Sony aproveitou a GDC 2010 para apresentar ao mundo o seu Playstation Move. Trata-se de um novo sistema de controlo para a Playstation 3 que mete todo o enfoque no movimento. Ou seja: para jogarmos vamos ter de deixar de ser tão preguiçosos e começar a mexer mais que dois ou três dedos de cada mão :)

Teste RD - Playstation Move: Vista Geral (Cima)

À semelhança do que a Wii já nos habituou, o Move leva-nos a mexer mais partes do nosso corpo sendo que certos jogos chegam mesmo a conseguir fazer-nos suar :) Sem querer desde já chegar a conclusões posso dizer-vos que o Move me impressionou pela positiva e que os movimentos detectados são bastante precisos. No entanto nem tudo são rosas e ainda há algumas arestas a limar. Se bem que para algumas delas acho que não há lima que lhes valha… Já vos conto tudo.

O sistema Move

O sistema é composto por um comando Move Motion (aquele com a bolinha luminosa na ponta), uma câmara Playstation Eye e, opcionalmente, um segundo comando apelidado de Navigation Controller. Desde já esclareço que a Sony apenas nos enviou um comando Move e um Playstation Eye. O Navigation Controller ficou lá escondido no escritório deles pelo que nos foi impossível testá-lo.

Começando pelo já nosso conhecido PS Eye: trata-se da câmara que já existe para a Playstation 3 desde 2007 pelo que aqui nada de novo. Liga-se por USB à consola e serve para nos filmar, tirar fotografias e ajudar a aumentar a precisão na detecção dos nossos movimentos. A única pena que tive em relação ao PS Eye é não existir nenhum modelo sem fios o que facilitaria, e muito, a sua colocação.

Teste RD - Playstation Move: Eye (Lateral)

Agora o Move. O tal comando que alguns apelidaram de “corneto” devido à esfera que tem no seu topo e que faz lembrar um gelado de cone :) Este comando é o verdadeiro centro da acção e inclui sensores de aceleração e posição capazes de detectar os vários ângulos e direcção dos nossos movimentos.

A detecção é depois completada e afinada graças à tal esfera que encabeça o comando. Esta bola ilumina-se quando estamos a jogar e pode ter várias cores. Cores essas que ajudam a distinguir os diferentes jogadores (em jogos para múltiplos jogadores) sendo que o sistema pode variar a cor emitida consoante o ambiente em que nos encontramos de modo a optimizar a detecção de movimentos.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe travão

Quanto a botões, são 9 os que temos à nossa disposição: os 4 botões tradicionais da Playstation (triângulo, círculo, cruz e quadrado), um botão select, um botão start, um botão PS, um botão Move e um gatilho apelidado de botão T. O único senão aqui é que os 4 botões tradicionais não estão dispostos como estamos habituados no Dual Shock 3 pois encontram-se rodados 45º no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Isto leva a que por momentos tenhamos que pensar onde se encontra determinado botão. Não é nada a que não nos habituemos, é certo, mas leva algum tempo.

A ergonomia do Move Motion é bastante boa, o que o ajuda a encaixar-se bem na nossa mão. Existe também uma fivela de segurança que colocamos à volta do nosso pulso e cujo travão regulamos para impedir totalmente o Move Motion de sair disparado da nossa mão num qualquer momento de entusiasmo :)

Os comandos, à semelhança do DualShock 3, utilizam o Bluetooth para comunicar com a consola o que nos permite ter até quatro jogadores em simultâneo, com quatro Move Motion. Se precisarmos de utilizar um Move Motion e um Navigation Controller apenas poderemos jogar com dois jogadores em simultâneo.

Utilização

A instalação do Move é do mais fácil que há: ligamos o Playstation Eye à nossa consola por USB e… já está! O Move Motion é reconhecido como um controlador normal de jogo e até o podemos utilizar para navegar no menu XMB da consola: basta premirmos o gatilho T e mexer o comando para aceder às opções pretendidas. A sensibilidade é bastante elevada o que leva a que por vezes seja um pouco complicado seleccionar a opção que pretendemos. Mas, obviamente, não é nada que não se ultrapasse com um pouco de treino.

Em jogo, devo de confessar que fiquei muito impressionado com a precisão dos movimentos detectados assim como a variedade de posições e movimentos que podemos efectuar. Entrarei mais em detalhe sobre isto na descrição dos vários jogos que nos foram enviados para testar o Move mas posso desde já dizer que jogar uma partida de ping-pong no Move é muito bom: slices, top spin, inclinação, tudo é reconhecido.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe Botão Start

No entanto há um inconveniente, directamente ligado à tecnologia utilizada, que será difícil de ultrapassar: a capacidade do Move detectar os nossos movimentos com exactidão depende bastante da luminosidade da nossa sala. Tentem jogar com a janela aberta, com luz solar a entrar directamente em frente ao PS Eye e verão que o sistema tem tendência a baralhar-se e, inclusivamente, a deixar de detectar o comando Move Motion… É claro que isto se resolve facilmente puxando o cortinado ou a persiana para baixo mas quando estamos num dia nublado e de repente rompe o sol, é um pouco incomodativo termos de parar o jogo para ajustar as condições de luz :( Tirando este “pormaior”, tudo funcionou sempre muito muito bem.

Ao nível da autonomia, uma carga completa da bateria do Move Motion dá para muitas horas de jogo. Sei que numa semana em que joguei cerca de 2 horas por dia (e com picos de 4 a 5 horas no fim-de-semana) apenas precisei de carregar o Move uma vez. Tentei recarregar o Move Motion utilizando um carregador de parede com ligação miniUSB mas não o consegui. Apenas dá para recarregar a bateria ligando o comando à PS3 ou a um computador. Estranho.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe Ligações

Outro teste que efectuei foi passar o comando ao meu sobrinho, de 5 anos e meio. Resultado? O miúdo ao fim de 2 minutos já dominava por completo a cena, conseguindo efectuar os movimentos necessários e jogar com um à-vontade assinalável.

Como disse mas acima, o sistema inclui um segundo comando: o Navigation Controller. Sendo opcional, quem não o quiser comprar pode sempre utilizar o DualShock 3 (ou Sixaxis) no seu lugar: seguramos o DS3 com a mão esquerda – o que nos permite utilizar o comando analógico, o d-pad e os dois gatilhos L1 e L2 – enquanto na mão direita temos o Move Motion. Estou realmente curioso para ver como é que este sistema se irá portar num FPS pois fiquei com a sensação de que, se for bem implementado, poderá melhorar muito a experiência neste tipo de jogos em consolas. A rever, sem dúvida.

Sports Champions

Sports Champions é o Wii Sports do Playstation Move. Vem com 6 jogos (disc golf, luta de gladiadores, tiro com arco, vólei de praia, boccia e ténis de mesa), sendo um dos principais cartazes do Move e aquele que nos permite ter uma boa ideia das capacidades deste novo sistema de controlo da PS3.

Em termos de qualidade e interesse, nem todos os jogos se equivalem mas acabam por estar a um bom nível. Como acabei por deixar escapar na introdução, o ténis de mesa foi um dos jogos que mais me impressionou pelo detalhe e diversidade de movimentos disponíveis. Nos níveis de dificuldade mais elevada, é realmente complicado conseguirmos acertar na bola como deve de ser: temos de colocar a raquete, perdão, o Move, no ângulo certo e aplicar a força correcta ao movimento para que a jogada seja um verdadeiro sucesso.

Os outros jogos revelaram-se também muito detalhados, com gráficos ao nível do que a PS3 nos habituou. O vólei de praia permite-nos várias jogadas sendo que o posicionamento do nosso jogador no terreno de jogo é automaticamente gerido pela consola: resta-nos depois fazer os passes, recepções ou ataques como deve de ser. Também o tiro com arco me agradou bastante pois temos de replicar todos os movimentos: ir buscar a flecha à aljava, puxá-la para trás e depois fazer mira (tendo em conta a lei da gravidada) para acertar mesmo no centro do alvo :)

Globalmente o Sports Champions revelou ser um jogo bastante bem conseguido, que mostra até que ponto o Move pode ser diversificado e utilizado para nos fazer replicar movimentos com um grão de precisão muito assinalável.

Heavy Rain Move Edition

Heavy Rain é um exclusivo PS3 e já tinha sido lançado anteriormente, não sendo um jogo propriamente novo. Mas agora volta a ganhar novo fôlego com esta Move Edition que nos permite utilizar o Move para controlar as acções das personagens. Espécie de filme interactivo, o jogo leva-nos na senda do Assassino do Origami, numa corrida desenfreada contra a chuva e o tempo para tentar salvar um pequeno rapaz na iminência de ser a próxima vítima do dobrador de papel.

Teste RD - Playstation Move: Vista Geral (Por baixo)

Pessoalmente, Heavy Rain fazia parte da minha lista de jogos a jogar na PS3 mas até agora ainda só tinha experimentado a demo. E devo dizer que a utilização do Move vem trazer uma nova perspectiva ao jogo. É verdade que acaba por não revolucionar todo o gameplay mas acaba por nos permitir uma imersão ainda maior numa história que merece ser descoberta.

Os gráficos são muitíssimo bons e as decisões que tomamos no jogo, assim como os nossos falhanços ou sucessos, ditam a forma como se desenrolará o resto da história. Não há cá voltar atrás para tentar outra abordagem: temos de seguir em frente pois o tempo corre a nosso desfavor e temos de ser rápidos para tentar resolver o mistério e salvar a vida do menino.

A utilização do Move faz com que, muitas vezes, tenhamos que replicar certos movimentos, em sequência e com o controlador na posição certa: abrir a porta de um carro, rodar a chave na ignição e engatar uma mudança são um entre muitos exemplos.

A quantidade e diversidade de movimentos acaba por ser uma boa montra para as capacidades do Move que prova aqui saber reconhecer eficazmente a posição do comando assim como os nossos movimentos, quer seja para cima, para os lados ou ainda para a frente e para trás.

Kung Fu Rider

Típico jogo japonês, o Kung Fu Rider coloca-nos na pele de um empregado de escritório que se vê obrigado a montar os mais estranhos objectos (como cadeiras de escritório, carrinhos de compras, etc…) e resvalar por ruas inclinadas desviando-se de obstáculos e inimigos.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe botões e esfera

Confesso que este foi o jogo mais estranho que veio com o Move: é divertido mas ligeiramente para lá da sensação de WTF :D Para quem gosta da cultura japonesa (e daqueles programas que davam na SIC ao Domingo à tarde), este será com certeza um jogo de que irão gostar. Se não for o caso… é giro de se experimentar :)

Eye Pet Move Edition

Este Eye Pet Move Edition é a versão Playstation Move do tamagochi da PS3. Temos uma pequena criatura virtual no nosso ecrã e temos de, com o Move, acarinhá-la, dar-lhe banho e brincar com ela. Mais: para que evolua e aprenda uns truques temos que perder algum tempo a ensiná-la.

Teste RD - Playstation Move: Detalhe Gatilho T

O jogo está bem conseguido e destina-se principalmente à criançada que verá nele um excelente companheiro.

Start the Party!

O quinto jogo que a Sony nos enviou para mostrar as capacidades do Playstation Move foi o Start the Party! Este é um jogo claramente destinado ao casual gamer e a animar a malta depois de um jantar entre amigos. Na realidade o Start the Party! é um conjunto de mini-jogos, de abordagem fácil e muito divertidos. Os jogos utilizam uma técnica que está muito na moda: a realidade aumentada. Isto porque quando jogamos vêmo-nos no ecrã com o Move a ser decorado com o acessório que estamos a utilizar: raquete, harpão, pincel, ventilador, lanterna, etc…

Quando digo de abordagem fácil, não quer dizer que sejam de domínio fácil: existem três níveis de dificuldade sendo que o mais elevado consegue fazer-nos suar para conseguirmos uma boa pontuação. Aliás, para terem uma ideia, neste jogo juntei-me ao meu sobrinho e coloquei a dificuldade do jogo dele no nível mais baixo. Para nivelar a coisa, fiquei com a dificuldade mais elevada. A verdade é que, contrariamente ao que se podia pensar, a experiência não foi apenas um passeio para mim: nalguns jogos até consegui perder para um miúdo de 5 anos! Vergonha :D

Como jogo social, o Start the Party é realmente muito engraçado e promete arrancar muitas gargalhadas. Para quem gosta de jogar com amigos esta será com certeza uma opção a ter em conta caso tenham um Playstation Move :)

Resumindo e concluindo

Como qualquer sistema de controlo de uma consola, o sucesso do Playstation Move está e estará sempre dependente da qualidade e quantidade de jogos que serão lançados. Para já a amostra a que tivemos acesso deixou boas indicações sobre as suas potencialidades.

Teste RD - Playstation Move: Conjunto de teste

O sistema em si está bastante bem conseguido: a construção é óptima, a ergonomia também e a precisão de detecção assinalável. Em suma, o Playstation Move – no plano técnico – tem tudo para ser um verdadeiro sucesso para todos os que querem adicionar uma nova forma de jogar na PS3. No entanto a avaliação definitiva apenas poderá ser feita quando virmos chegar jogos como o SOCOM ou Killzone de modo a podermos aferir qual a verdadeira utilidade do Move para os ditos hardcore gamer.

Resta ver como se vai portar face à concorrência já implementada (Wii) e com a que está mesmo aí a chegar (Kinect). Em relação a este último, contamos ter um Teste RD muito em breve pelo que se quiserem conhecer as nossas opiniões sobre o Kinect, fiquem atentos ;)

Pontos a favor :)

  • Qualidade de construção;
  • Precisão dos movimentos;
  • Line-up diversificado e com jogos interessantes;
  • Autonomia;

Pontos contra :(

  • Dificuldades em certas condições de luz ambiente;
  • É pena o PS Eye não ser sem fios…

Mais uma vez espero que este Teste RD tenha sido esclarecedor. No entanto se tiverem alguma dúvida ou questão, não hesitem a entrar em contacto! Resta-me agradecer-vos a vossa companhia nesta descoberta do Move ;)

Página oficial: Playstation Move

Mais vídeos no canal YouTube do Revolução Digital.

Galeria de imagens

Estas são as fotografias que foram tiradas ao Playstation Move durante a realização deste teste:

4 Respostas

  1. Luis Miguel Silva

    Recebi o Kinect a semana passada e gostava de deixar ca as minhas impressoes sobre ele (comparando aos controlos da Wii e da Ps3 Move).

    Estou muito satisfeito com o que fizeram, os controlos parecem ser bastante fiaveis! Mas ainda ha pouca coisa que os use (jogos e menus da Xbox) e parece ter alguma dificuldade em detectar certos tipos de tecido (i.e. um casaco de couro preto que utilizei nao permitiu ao sistema detectar-me correctamente).

    Na minha opiniao, a Wii continua a ser muito porreira mas esta limitada a nivel dos graficos dos jogos. A questao do cabo entre o Nunchuk e o Wiimote tambem e bastante chata…

    Ja a PS3 Move resolve o problema do fio entre os dois remotes e tem, aparentemente, uns movimentos mais realistas / completos MAS, pela minha experiencia, se nao tivermos espaco suficiente / boa iluminacao, a coisa falha um pouco…

    O jogo que mais gostei com o move foi mesmo o Heavy Rain mas foi bastante frustrante ve-lo falhar alguns movimentos que fazia :o\.

    Agora o Kinect e um mundo ah parte, vem realmente revolucionar isto tudo pelo que, se adicionarem ainda mais features / jogos, vai dar alta porrada a concorrencia ;o)

    Abraco,
    Luis Miguel

    Responder
  2. RagnaRock

    Também já tive a possibilidade de testar o Move em casa e sinceramente continua a ter algumas falhas.

    Quando o comprei o objectivo era jogar shooters on rails. No entanto pelo que pude experimentar ao jogar a demo do Time Crises 4 é que este tipo de comando ainda tem que desenvolver mais.

    1º Ha lag, ou seja entre o apontar e a mira ficar onde estamos a apontar demora algum tempo.
    2º este comando sendo usado como uma pistola, não tem grande precisão, podemos estar a apontar para a um canto da tv e ele detecta que estamos a apontar para lá dela. (mas isto pode ser algum problema de calibração do jogo) no entanto fiquei com a ideia de que apontando 2x para o mesmo sitio ele pode colocar a mira em sítios diferentes em cada uma das vezes.

    Este comando é mais para ser usado como uma especie de apontador laser com algum lag, do que propriamente como uma pistola.

    Responder

Partilha a tua opinião!

O teu endereço de email não será publicado