Todos os dias, ou quase, há mais uma tecnologia a nascer para o mundo. Umas ainda são recém-nascidas e precisam de amadurecer, mas outras parece que estão a sair da adolescência e quase a chegar ao mundo adulto.

Sutiã eléctrico

Depois há outras que, por uma razão ou por outra, que são assim mesmo mais alternativas e cuja implementação é no mínimo dúbia.

A imagem acima é a proposta de Adrienne So de São Francisco, que sugere que se utilize a energia cinética provocada pelos saltitantes seios femininos (conheço alguns masculinos que também dariam!) aquando de uma bela corrida ou simples caminhada. A energia podia ser consumida de imediato por um MP3 ou rádio que tipicamente acompanha os adeptos destes tipos de actividade física.

Sutiã de energia solar

Esta proposta é claramente um atentado ao bem estar físico feminino, mas isso não impediu uns Japoneses de o inventar. O suposto é gerar electricidade a partir da energia solar captada enquanto se usa o dito indumento durante uns belos banhos de sol e afins. A questão fica no ar: então é para apanhar banhos solares ou produzir energia? É que também do Japão surgiram uns quantos biquínis que cobriam, ou melhor, encobriam apenas o local por onde os seus fios passavam… creio que conheceram os ditos. Grande Revolução aquela, só não era Digital.

Mas paremos com as brejeirices, e já agora com as propostas pouco credíveis de passar para o mercado económico.

Futebol eléctrico

A foto acima, provavelmente tirada durante o Mundial de 2010, ilustra a proposta de alguns estudantes em Harvard. Como em algumas regiões menos favorecidas a distribuição eléctrica é escassa ou inexistente esta seria uma solução interessante de aplicar. Novamente, a tecnologia assenta em energia cinética: uma vez chutada a bola, a energia aplicada seria convertida em electricidade. Assim se junta o melhor de dois mundos: durante o dia divertimo-nos e fazemos desporto e quando a noite cai há luz para iluminar a refeição e outras ‘actividades’ noctívagas.

Fontes e ideias de como produzir electricidade começam já a surgir a um ritmo razoável e diria até saudável. Algumas interessantes como a anterior, outras cómicas como as iniciais.

Existem mais umas quantas dignas de ‘se levantar o chapéu’, como por exemplo: solas de sapatos/sapatilhas que geram energia com o movimento do caminhar, torniquetes que geram energia à passagem dos passageiros, degraus que geram energia ao ser pisados, entre outras.

Aceitam-se sugestões: estapafúrdias ou concretas, todas contam, desde que concretizáveis e que obviamente produzam energia.

Fonte

Endereço de Email

1 COMENTÁRIO

  1. Existe uma empresa portuguesa chamada emove que tem uma solução de futuro para a energia das ondas. Trata-se de uma esfera que gera energia e pelos testes deles, uma dessas esferas com uma dezena de metros de diametro seria suficiente para uma aldeia inteira =)

    Podiam fazer uma versão dessa bola com a versão mais pequena do produto deles e destiná-la aos meus fins que esse pessoal de harvard.

    Engenharia Portuguesa no seu melhor =D

Partilha a tua opinião