[Teste RD] Unit 13 (PS Vita)

Unit 13 é o primeiro action shooter a chegar à Playstation Vita e nós aqui no Revolução Digital temos o prazer de vos apresentar o Teste RD que fizemos a este jogo.

Teste RD - Unit 13

Introdução

Unit 13 é um action shooter exclusivo para PS Vita, feito pela Zipper Interactive, estúdio que tem títulos na sua alçada como MAG (PS3), SOCOM U.S. Navy Seals (PSP e PS2) e MechWarrior 3 (Windows). É o género de shooter com vista por detrás do ombro ao estilo de Gears of War e semelhantes.

Teste RD - Unit 13

A história e objectivos

Infelizmente para alguns não há história no jogo nem qualquer tipo de ligação entre as missões. Todas elas são pequenas missões independentes. Nalgumas temos que impedir ataques terroristas, noutras salvar reféns, eliminar líderes de gangs ou ainda colocar ou desactivar bombas.

Isto não é forçosamente mau: se virmos bem num jogo para uma consola portátil que é usada enquanto matamos tempo ou estamos em viagem, o ideal é precisamente que não nos obriguem a dedicar muito tempo. Mal seleccionamos uma missão dão-nos um pequeno briefing, escolhemos o soldado e saltamos logo para a acção.

Teste RD - Unit 13

Não há enredo principal nem um super vilão ou missão especial. Temos 36 curtas missões que podem ser jogadas com 6 classes diferentes de soldados e cada um destes pode subir de nível conforme a experiência adquirida. Estas 36 missões podem também ser jogadas em modo Ranked ou Dynamic. Este último modo torna a localização dos objectivos e inimigos sempre diferente para as missões não serem tão repetitivas para o jogador, um estilo de modo aleatório que aumenta a longevidade do jogo.

Algumas das missões têm limite de tempo para serem concretizadas o que dá um certo desafio extra ao jogador. Outras têm o requisito de stealth para serem completadas onde temos que completar todos os objectivos sem ser visto uma única vez. Não há a possibilidade de gravar o jogo a meio de uma missão e apenas algumas têm checkpoints, por isso se morrermos temos que começar tudo de novo o que às vezes é um bocado frustrante.

Uso de funcionalidades da PS Vita

É neste tipo de jogos que 2 botões analógicos fazem a diferença. Se tentaram jogar shooters na PSP decerto sentiram aquela frustração nos controlos. Claro que mesmo assim ainda prefiro jogar shooters em PC devido ao rato e teclado mas há que admitir que a PS Vita se porta muito bem com os 2 analógicos, tendo uma excelente sensibilidade e manuseamento. A nível de funcionalidades extra o Unit 13 usa apenas o ecrã táctil frontal para saltar obstáculos, desactivar minas e painéis de controlo. Não há qualquer uso da câmara, giroscópio ou painel traseiro.

Teste RD - Unit 13

Som, grafismo e jogabilidade

O som está razoável, a voz da narradora em todos os briefings é ligeiramente cansativa mas nada de mais. Quanto ao grafismo, a Zipper Interactive portou-se muito bem. Não há falhas a apontar e até objectos como caixas, monitores e folhas têm bastante detalhe e o jogador sente-se integrado no cenário facilmente.

Os efeitos de luz estão mais do que aceitáveis e há pequenos detalhes como poeiras e cinzas a voar no meio de incêndios. A jogabilidade é excelente, os comandos e o ecrã táctil obedecem rigorosamente ao jogador e não há qualquer tipo de frustração por parte dos controlos. A grande chatice são os tempos de carregamento dos níveis que demoram entre 1 a 2 minutos e isso pode causar algum aborrecimento.

Teste RD - Unit 13

A inteligência artificial do inimigo é um bocado instável. As acções do inimigo são um bocado previsíveis e os scripts dos caminhos são algo repetitivos. O que ajuda neste aspecto são as missões em modo Dynamic (aleatório). Torna-se aborrecido ver os inimigos a passarem por cima dos corpos dos seus aliados sem repararem neles e sem isso denunciar a nossa presença. Quando em alguns casos reparam nos corpos, ficam uns segundos em alerta mas rapidamente ignoram e continuam no seu caminho pré-definido.

Pelo menos quando estão em grupo tentam flanquear-nos quando nos detectam e são bastante rápidos mesmo no modo de dificuldade mais baixo. O nível de agressividade também é alto, são capazes de nos aparecer pela frente 2 inimigos a disparar à queima-roupa e mais outro por trás, tudo ao mesmo tempo se não tivermos cuidado e nos mantivermos em constante movimento num tiroteio.

Online e multiplayer

Para jogar online temos apenas o método cooperativo onde podemos jogar com um amigo. No entanto há desafios diários sempre diferentes que estão disponíveis logo no menu principal onde podemos bater records no billboard europeu seja por recorde de tempo ou pontuação nas diversas missões.

Teste RD - Unit 13

Demonstração em vídeo do jogo

O vídeo que se segue mostra um pouco do que esperar em Unit 13:

Resumindo e concluindo

Para o primeiro shooter da PS Vita não está nada mau, mas o preço inicial de 39,99€ é ligeiramente abusivo para o que oferece. Brevemente o mercado será inundado por mais jogos deste estilo para a Vita e alguns deles poderão ser capazes de inovar onde Unit 13 não conseguiu. Para já não estamos mal servidos. Se gostam de shooters é razoável e não tem muitos pontos negativos, embora eu esperaria pela baixa de preço para metade para ser um preço justo.

Teste RD - Unit 13

Pontos a favor :)

  • Missões rápidas, ideais para uma consola portátil.
  • Bastantes missões e com modo aleatório.
  • Várias classes de soldados diferentes com capacidade de subir de nível.
  • Shooters são finalmente jogáveis numa consola portátil devido aos 2 botões analógicos.

Pontos contra :(

  • Não há enredo, para quem gosta de história isto pode ser negativo.
  • Loadings das missões lentos, entre 1min – 2min.
  • Inteligência Artificial do inimigo inconstante.
Selo RD - Prata

O que significa este selo?

Unit 13, ganha o Selo de Prata na sua categoria como jogo de shooter/acção para a PSVita.

Página oficial: Unit 13

Para terminar agradeço a vossa companhia na descoberta deste jogo. Se tiverem alguma dúvida, crítica ou sugestão não hesitem em entrar em contacto!

Endereço de Email

  1. Pedro "Nastase" Anastácio

    Josiel: a principal razão é porque a representante da Apple em Portugal não nos manda material para testarmos. Tão simples quanto isso.

    No entanto estamos a estudar parcerias para que os testes a material Apple possam ser uma realidade no RD.

    Responder

Deixar uma resposta

O teu endereço de email não será publicado.