O Samsung Galaxy Note 10.1 (GT-N8000) mudou muito desde a primeira vez que o vimos, em Barcelona há quase um ano. A Samsung aprimorou o conceito, fez algumas alterações e finalmente lançou há algumas semanas o irmão mais novo e maior do Galaxy Note.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Frente

A Samsung enviou-nos um Galaxy Note 10.1 para testarmos e podermos partilhar convosco as nossas opiniões sobre este interessante tablet. O Teste RD ao Galaxy Note 10.1 está mesmo a começar!

Apresentação

Apresentado oficialmente no final do verão de 2012, o Galaxy Note 10.1 é um tablet muito interessante. Poderosamente equipado graças a um processador quad-core e 2GB de RAM, o Galaxy Note 10.1 funciona sobre o Android (versão 4.1.1 na unidade que testámos) e vem com um “detalhe” que faz toda a diferença: a S-Pen.

Esta caneta, inicialmente introduzida no primeiro Galaxy Note, está mais esbelta e agradável de se manusear. E dá uma liberdade de acção e um tipo de utilização que muda realmente a forma como interagimos com um tablet. Mas sobre isso falaremos mais à frente.

Devido a essa mesma S-Pen e algumas aplicações que a Samsung incluiu no Galaxy Note 10.1 este é um tablet que acaba por apontar a um conjunto de pessoas que precisam ou gostam ainda de escrever à mão mas que querem ver a sua produtividade aumentada. Além, claro, dos artistas que, tal como a Samsung já demonstrou algumas vezes, conseguem tirar um partido especial deste tablet.

Antes de começarmos a analisar a fundo o Galaxy Note 10.1 proponho-vos dar uma curta vista de olhos pela lista de características técnicas que compõem este tablet.

Características técnicas

De seguida deixo-vos as características técnicas do Samsung Galaxy Note 10.1:

Processador
Fabricante Samsung
Modelo Exynos 4412
Núcleos 4 x Cortex-A9
Velocidade 1,4GHz
Instruções ARMv7
GPU ARM Mali-400
Software
Sistema operativo Android 4.1.1
Interface TouchWiz
Memória
RAM 2GB
Tipo RAM LPDDR2 SDRAM
Interna 32GB
Tipo Flash EEPROM
Comunicações Móveis
Bandas GSM850, GSM900, GSM1800, GSM1900, UMTS850 (B5), UMTS900 (B8), UMTS1900 (B2), UMTS2100 (B1)
Ligações de dados GPRS, EDGE, UMTS, HSDPA, HSUPA (5,76Mbps), HSPA+ (21Mbps)
Ecrã
Tipo PLS TFT
Tamanho 10,1 polegadas
Resolução 1.280 x 800 pixels
Densidade 149,2 pixels / polegada
Protecção Corner Gorilla Glass
Áudio
Controlador Wolfson WM1811AE
Saída Jack 3,5mm
Colunas Estéreo
Formatos Leitura Áudio MP3/WAV/eAAC+/Flac
Ligações
Cartões de memória microSD(HC)
USB USB 2.0 OTG
Bluetooth Sim, v4.0
WiFi 802.11 b/g/n dual-band (2,4 e 5 GHz) com DLNA e WiFi Direct
Saída HDMI Sim, Full HD
Fotografia e Vídeo
Tipo Sensor CMOS
Resolução 2.592 x 1.944 pixels (5.04MP) + sensor frontal de 1.600 x 1.200 pixels (1,92MP)
Focagem automática Sim
Flash Sim, LED
Formatos gravação imagem JPG
Formatos gravação vídeo 3GP, 3G2, MPEG4 1080p@30fps
Formatos leitura vídeo MP4/DivX/Xvid/FLV/MKV/H.264/H.263
Receptor GPS
Tipo NMEA 0183
Assisted GPS Sim
GLONASS Sim
Bateria
Tipo Li-ion
Capacidade 7.000mAh
Dimensões
Corpo 262 x 180 x 8,9 milímetros
Volume 419,7 cc
Peso 600 gramas

Olhando de relance conseguimos facilmente ver que os destaques caem no processador, na memória RAM e na S-Pen.

O primeiro porque se trata de um Exynos 4412, quad-core com núcleos Cortex A9 a funcionar a 1,4GHz. O GPU é um Mali-400 o que à partida deixa indicar um desempenho gráfico de topo. Em segundo lugar temos então a memória RAM que tem uma capacidade de 2GB. Já há alguns dispositivos no mercado com esta quantidade de RAM mas esses ainda são a excepção o que neste caso faz do Note 10.1 uma boa excepção.

A S-Pen, tal como dito mais acima, é outro factor de destaque e falaremos dela em detalhe mais à frente. Para finalizar ainda podemos destacar a gigantesca bateria de 7.000mAh que promete uma boa autonomia.

Embalagem e acessórios

A embalagem em que vem o Samsung Galaxy Note 10.1 é muito semelhante ao que a empresa coreana nos tem vindo a habituar. Em cartão reciclado e impressa com tinta de soja, a embalagem tem o tamanho estritamente necessário para acomodar o tablet e os (poucos) acessórios que o acompanham.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Embalagem Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Embalagem
Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Carregador Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Cabo USB

Falando em acessórios. O que encontramos além do Galaxy Note 10.1 é um cabo USB (que permite recarregar a bateria do dispositivo e transferir dados), um carregador de parede, uns auscultadores e… mais nada. Quem quiser algum tipo de capa ou um pano para limpar o ecrã terá de os comprar à parte.

De seguida podem ver o nosso vídeo de unboxing (desembalagem) deste Samsung Galaxy Note 10.1:

E agora, se fizerem o favor de continuar a ler, vamos olhar em detalhe para o design e aspecto geral deste Galaxy Note 10.1 ;)

Design e aspecto geral

O Samsung Galaxy Note 10.1 é um tablet com um design muito agradável. O modelo que recebemos é branco, com uma lista a cinzento a toda à volta do dispositivo. Muito bem construído, o Galaxy Note 10.1 apresenta materiais de boa qualidade e agradáveis ao toque, conferindo ao conjunto uma agradável sensação de solidez. Aliás, ao torcê-lo um pouco (não forçamos muito…) nota-se que o equipamento não emite qualquer ruído o que é muito bom.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Traseira

Na frente do tablet encontramos o grande ecrã de 10,1 polegadas que é do tipo PLS e tem uma resolução de 1.280 x 800 pixels. Isto faz com que a densidade seja de aproximadamente 149ppp. Não é retina mas garanto-vos que este ecrã impressiona pela sua qualidade, tanto a nível de cores como de contraste. É de facto um dos melhores que vimos num tablet.

Além do ecrã a frente do Galaxy Note 10.1 tem também a câmara para vídeo-conferências (de 1,9MP), os sensores de luminosidade e duas colunas, uma de cada lado do ecrã. Este design faz com que ao vermos um filme na horizontal o som seja mesmo estéreo :) O som, no global, é muito bom e o volume máximo impressiona pois não esperamos que um dispositivo com esta espessura consiga debitar um volume tão alto e sem distorções. Bom ponto.

Na traseira do Galaxy Note 10.1 encontramos, na parte de cima, a câmara principal (que é de 5 megapixels) e o flash LED. Toda esta parte da câmara está revestida de cinzento e de um material ligeiramente diferente do que o resto da traseira do tablet, que é branca.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Lateral Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Fundo
Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Topo Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Botões volume e alimentação

As laterais do tablet não têm nada sendo que na parte de baixo temos, ao canto, a S-Pen (que fica bem arrumada dentro do corpo do tablet) e o conector para o cabo USB, que permite recarregar a bateria do Note 10.1 assim como transferir dados para a memória interna. No topo do tablet encontramos a maioria dos controlos: botão de alimentação, botões de volume, entrada para um cartão microSD, porta de infravermelhos, saída de som 3,5mm e a entrada para um cartão SIM (normal) que permite que o Galaxy Note 10.1 se ligue a redes de dados 3G.

A porta de infravermelhos permite transformar o Galaxy Note 10.1 num comando remoto universal, que nos permite controlar a nossa TV ou box de televisão por cabo. A Samsung até inclui uma aplicação dedicada para este efeito.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Porta Infra-Vermelha

No que toca ao WiFi, a captação de sinal é bastante rápida e torna-se muito fácil ligar o Note 10.1 a uma rede sem fios graças às várias opções disponíveis (nomeadamente a possibilidade de configurar uma rede através do botão WPS). De seguida podem ver a medição de sinal feita sendo a imagem da esquerda corresponde ao Galaxy Note 10.1 e a da direita a um Galaxy S3:

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot Teste RD - Samsung Galaxy S3: Screenshot (Wifi Analyzer)

Como podem ver as medições, efectuadas no mesmo sítio, indicam que o Galaxy Note 10.1 capta um pouco menos de sinal mas na prática não foi nada que nos impedisse um correcto funcionamento no acesso à rede e internet. Nas várias redes em que liguei o Galaxy Note 10.1 o comportamento foi sempre bastante bom e exactamente como esperado, não tendo detectado aqui problema nenhum.

No geral o Galaxy Note 10.1 é um tablet bonito, bem construído, ergonómico, nem muito pesado nem muito leve e que é fácil de segurar com apenas uma mão (apesar de que ao fim de alguns minutos o cansaço no braço possa começar a acumular :) ).

Sistema operativo

O Samsung Galaxy Note 10.1 funciona sobre o sistema operativo Android que, no caso do modelo que recebemos, vem com a versão Jelly Bean 4.1.1 com a build JRO03C.N8000XXBLK2. Uma coisa que se nota de imediato é que de facto o pessoal do Google tem feito um bom trabalho na optimização e fluidez do sistema.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

A versão que corre no Galaxy Note 10.1 é por isso mesmo bastante fluída e muito agradável de se utilizar. Quase nunca notamos engasgos na utilização do tablet, mesmo quando utilizamos o multi-window e estamos a utilizar duas aplicações em simultâneo. Claro que para isso contribui também o processador do Galaxy Note 10.1, bastante poderoso, e sobretudo o facto de termos à nossa disposição 2GB de memória RAM.

Para quantificar esse desempenho recorremos, como de costume nos Testes RD, a algumas aplicações de benchmark: AnTuTu e Linpack. Começando por este último, que se foca principalmente na capacidade de processamento do dispositivo, obtivemos uma média de 56,409 Megaflops no teste single-core e de 105,21 Megaflops no teste multi-core. São valores de facto bastante interessantes.

Por seu lado o AnTuTu é um teste que procura quantificar de forma mais global o desempenho de cada dispositivo sendo que neste caso obtivemos um resultado de 15.935.

Nota: Como metodologia de teste utilizamos dez repetições de cada utilitário para obter a média ponderada, valor que consideramos final.

Interface

Em cima do Android Jelly Bean a Samsung colocou a sua já habitual interface TouchWiz UI. Esta interface foi aqui ligeiramente modificada para se adaptar à S-Pen. Por exemplo, quando retiramos a caneta, o Galaxy Note 10.1 abre um pequeno menu lateral onde podemos de imediato lançar algumas das aplicações que tiram partido da S-Pen. Isto permite que possamos, de forma muito rápida e prática, lançar o S-Note e estarmos a tirar notas num piscar de olhos.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Apesar de termos notado alguns (poucos) momentos em que a interface parou durante uns curtos segundos, no geral o TouchWiz é bastante rápido e fluído. Claro que tem as suas especificidades que o tornam diferente da concorrência e haverá com certeza coisas que cada um gostará e outras nem tanto. Mas no global esta é uma interface já bastante madura e com um leque de extras, em relação à interface base do Android, muito bem vindos.

No que toca ao software que inclui, o Galaxy Note 10.1 vem com o já famoso Paper Artist, que permite retocar e dar um toque artístico a fotos ou imagens que tenhamos armazenadas no Note 10.1. Há também o S-Note e S-Memo que permitem tirar notas e apontamentos de forma muito simples e prática. No que toca a assistentes pessoais, temos a presença do S-Voice (o Siri da Samsung) mas este, infelizmente, continua a não estar disponível em Português (apesar de nos ter sido prometido que iria chegar durante o segundo semestre de 2012…).

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Outra novidade muito interessante – e que dá muito, muito jeito! – é o Multi-Window. O Android, apesar de ser um sistema que permite a execução de várias tarefas em simultâneo (vulgo multi-task) apenas permite que utilizemos realmente uma única aplicação ao mesmo tempo. A Samsung decidiu que hoje em dia este tipo de dispositivos já têm potência mais do que suficiente para levar mais além este conceito e criou o Multi-Window.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Esta nova funcionalidade (que acredito irmos ver chegar a outros dispositivos e outras marcas em breve) permite que, tal como num computador “normal”, possamos ter duas aplicações, lado a lado. Ou seja: podemos estar a escrever um email e a ver um vídeo ao mesmo tempo, quer seja no Youtube através da sua aplicação (ou pelo navegador internet) ou mesmo no leitor multimédia do Note 10.1. Esta possibilidade dá imenso jeito e é realmente muito bem vinda. Ainda para mais a sua utilização é muito simples e fácil.

Ainda no que toca a software incluído, a Samsung colocou no Galaxy Note 10.1 o PS Touch, da Adobe. Com esta versão do Photoshop adaptada a uma utilização táctil a S-Pen faz realmente maravilhas e acredito que para quem gosta e precisa de editar fotos e imagens esta seja uma das melhores soluções com mobilidade disponível no mercado.

Para terminar, apenas uma curta referência para o facto da Samsung também incluir de origem uma aplicação que permite fazer uso do emissor de infra-vermelhos do Note 10.1 e torná-lo num controlo remoto para a nossa televisão e demais equipamentos. Funciona bastante bem mas, infelizmente, não consegui fazer com que funcionasse com a minha box do Meo o que fez com que perdesse um pouco do interesse. Esperemos que a base de dados de equipamentos suportados possa crescer para tornar esta funcionalidade ainda mais útil!

Internet e redes sociais

O navegador internet que vem incluído no Galaxy Note 10.1 é aquele a que o Android e a Samsung nos têm habituado ao longo dos tempos. E enquanto o Chrome para Android não for lançado em versão final, é com este navegador que vamos surfar.

O navegador do Note 10.1 revelou-se muito rápido na maioria dos casos, sendo até dos mais rápidos que experimentei. Inexplicavelmente no entanto, por vezes “encrava” um pouco no scroll. O mais curioso é que esse comportamente não era propriamente linear pois no mesmo site, com os mesmos conteúdos, a maior parte das vezes funcionava muito bem e apenas nalgumas ocasiões aparecia o problema.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Mas tirando isso, que foi apenas muito ocasional, este é um navegador bastante bom e com muitas opções que nos permitem personalizar e adaptar o seu uso às nossas preferências. Há um modo Leitor, acessível através de um pequeno ícone verde que surge na barra de endereço quando o carregamento da página termina, que nos permite ler os conteúdos das páginas que visitamos de forma muito simples. Nesse modo conseguimos fazer zoom e o texto ser adaptado de forma automática. Já no navegador principal, e isso é algo de que nos andamos a queixar há muito tempo, isso não acontece: ao fazermos zoom (que, por sinal, funciona de forma muito fluída) o texto não é ajustado ao zoom que escolhemos fazendo com que por vezes tenhamos de andar para a esquerda e para a direita de modo a podermos ler o texto que pretendemos.

No que toca ao cliente de email, temos a possibilidade de configurar contas POP3, IMAP e MS Exchange pelo que a grande maioria das necessidades neste campo está coberta. No que toca ao Exchange não consegui experimentar mas no caso do POP e IMAP as coisas funcionam bastante bem. O cliente de email é bastante rápido e faz aquilo que dele esperamos, de forma eficiente.

Quanto a redes sociais a Samsung decidiu continuar a seguir uma tendência que se tem vindo a acentuar nos últimos tempos: não inclui qualquer aplicação para lhes aceder. Se dantes até incluíam aplicações próprias que agregavam as nossas redes no mesmo sítio agora nem as aplicações oficiais incluem. Nada que seja realmente grave a até pode ser, se pensarmos bem, positivo: assim cada um é livre de instalar as aplicações que quiser, sem ser influenciado por software previamente instalado.

Uma vez instaladas as aplicações que pretendemos, tudo funciona como seria de esperar pelo que não será por aqui que deixarão de estar constantemente ligados às actualizações e partilhas dos vossos amigos, quer seja no Twitter, Facebook, Google+ ou qualquer outra rede.

Produtividade

Cada vez mais os tablets são vistos pelas pessoas como um possível substituto de um computador. Mas para que isso possa realmente acontecer, este tipo de dispositivos terá – forçosamente – de começar a permitir uma maior produtividade. Aos poucos vamos chegando lá sendo que no caso específico do Samsung Galaxy Note 10.1 as coisas nesta área até que funcionam bem.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: S-Pen Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: S-Pen
Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: S-Pen Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: S-Pen

Começando pela inevitável S-Pen temos a possibilidade de tirarmos notas à mão, desenhando gráficos ou recorrendo também ao reconhecimento de escrita que permite “traduzir” notas manuais em texto digital. Já vi um Note 10.1 a ser utilizado numa reunião onde participei e claramente era uma mais valia em relação ao meu caderno e lápis ;)

O vídeo que se segue mostra-vos algumas das capacidades da S-Pen:

Além disso a Samsung também inclui o seu próprio calendário, o S-Planner, que permite partir da base do calendário do Google acrescentando-lhe algumas novidades e extras que permitem uma maior organização dos nossos eventos e/ou tarefas. O S-Planner permite também incluir mais dados a cada registo o que pode ser muito útil, sobretudo a nível empresarial.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Já no que toca a documentos a Samsung inclui no Note 10.1 o Polaris Office. Esta aplicação Android consegue já um belo trabalho no que toca à criação e edição de documentos ditos “Office”. Criar ou editar um documento de texto, folha de cálculo ou apresentação é bastante fácil sendo que o Poaris Office é compatível com documentos do Office 97-2003 e 2007 o que é já bastante bom. Há vários modelos (templates) disponíveis sendo que a integração com a nuvem também não foi esquecida: é possível configurar o Polaris Office para que este se ligue directamente a serviços como a Box, DropBox ou Google Drive e possa criar e editar de forma directa documentos que estejam armazenados num desses serviços.

Multimédia e Lazer

Uma das coisas que mais gostamos nos produtos da Samsung é a sua grande versatilidade como leitores multimédia, com um suporte muito alargado para os mais variados tipos de ficheiros.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Coluna de som

Olhando para o leitor de vídeo conseguimos fazer com que todos os formatos que experimentámos (MP4, 3GP, AVI, DivX, Xvid, MKV) fossem correctamente reproduzidos, mesmo tratando-se de vídeos de alta resolução. Aqui vê-se que a Samsung faz um esforço em dotar o seu leitor de vídeo de descodificação por hardware. Este leitor até suporta legendas de forma nativa o que é extremamente prático e faz com que não tenhamos que nos preocupar em recodificar vídeos antes de os passar para o tablet: basta copiar os ficheiros do vídeo e legendas (desde que tenham o mesmo nome) para que tudo funcione.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

E com o multi-window, de que falámos há pouco, é muito engraçado podermos continuar a ver o nosso vídeo enquanto navegamos no Facebook ou escrevemos um email. E mesmo ao reproduzir um vídeo em HD e lançar o Facebook, por exemplo, tudo continua a funcionar de forma muito fluída.

O leitor de música é também ele bastante bem pensado e funcional. Aqui a Samsung também dotou o seu leitor de um suporte para muitos tipos de ficheiros. Tudo funciona de forma simples e transparente.

As opções de gestão de música funcionam bem e no global é um leitor bastante bem conseguido. Temos também acesso a um equalizador manual o que poderá agradar a quem se interessa mais por este mundo e sabe como mexer em filtros passa-baixo, passa-banda e passa-alto :)

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

De notar ainda que a Samsung integrou o seu AllShare (DLNA) nestas duas aplicações. Tanto no leitor de música como no leitor de vídeo conseguimos aceder directamente aos conteúdos multimédia dos dispositivos que estão na nossa rede. É de facto bem pensado e funciona muito bem.

No que toca a jogos, o Galaxy Note 10.1 é uma verdadeira máquina de entretenimento. O poderoso processador quad-core junto com os 2GB de RAM fazem com que os jogos corram todos (pelo menos o que experimentámos :) ) de forma super-fluída e rápida. Desde jogos de gráficos exigentes como o Dead Trigger a jogos mais fracos, é realmente um regalo jogar neste tablet da Samsung.

Podem ver de seguida alguns exemplos desses jogos em funcionamento:

O ecrã do Galaxy Note 10.1 é realmente muito bom e, aliado ao alto desempenho do processador, permite-nos de facto ter uma experiência superior no que toca a jogos. Se além disso ligarmos um comando Bluetooth então temos aqui uma bela consola para quem gosta de passar várias horas a jogar ;)

Fotografia e vídeos

As fotos produzidas pela câmara de 5 megapixels do Galaxy Note 10.1 são de qualidade bastante aceitável. Em exterior as fotos apresentam um bom equilíbrio de cores, tendo bastante detalhe e definição. Já em interior, como sempre, tudo depende muito do tipo e intensidade de iluminação mas em regra geral a qualidade das fotos desce uns furos. No global julgo que é uma câmara que consegue captar fotos bastante aceitáveis e satisfatórias.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Foto de teste Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Foto de teste
Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Foto de teste Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Foto de teste

A aplicação que gere a câmara é bastante completa, incluindo coisas como um modo de detecção de sorrisos (que tira automaticamente a foto quando as pessoas fotografadas sorriem), um modo panorama, e share shot que permite partilhar facilmente as fotos tiradas com os nossos contactos que nelas apareçam.

Além disso temos à nossa disposição alguns efeitos que podemos aplicar (normal, preto e branco, sépia, negativo) assim como a possibilidade de definirmos a compensação de exposição ou o balanço de brancos.

A galeria de imagens é bastante rápida na transição entre fotos e muito agradável de se utilizar.

Já em vídeo, o Galaxy Note 10.1 consegue produzir bons vídeos se bem que não nos importaríamos de ver um sistema de estabilização de imagem mais eficaz, sobretudo porque filmar com um tablet destas dimensões implica sempre mais alguns “tremeliques”. De seguida deixo-vos com um exemplo de vídeo filmado com um Samsung Galaxy Note 10.1:

GPS

Sejamos sinceros: quem compra um tablet de 10 polegadas não deve de estar propriamente a pensar utilizá-lo como navegador GPS. A menos que sejam engenhocas e o queiram colocar na consola do carro :) De qualquer forma é sempre bom termos um receptor GPS, nem que seja para marcar as fotos que tiramos com o local onde… foram tiradas.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Neste ponto o receptor GPS incluído no Galaxy Note 10.1 funcionou bastante bem, sendo muito rápido a captar a nossa localização, mesmo estando o 3G desligado. Durante a sua utilização não notámos qualquer perda de sinal anormal pelo que neste ponto o Galaxy Note 10.1 passou o teste com distinção.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

Apesar de tudo o que disse um pouco mais acima, claro que quem quiser utilizar o Note 10.1 para se orientar por essas estradas fora também poderá fazê-lo. De fábrica o Note 10.1 vem com o já incontornável Google Navigation, que requer uma ligação à net para funciona na sua plenitude (apesar de podermos descarregar partes do mapa para utilizá-lo off-line). Quem preferir uma solução que dispense mesmo a ligação à net há o TMN Drive.

Ambas as soluções funcionam muito bem pelo que não deverão ter problema algum em encontrar e chegar ao vosso destino.

Autonomia

A autonomia do Galaxy Note 10.1 era um dos pontos que tinha mais curiosidade em testar. Quando olhamos para o papel e para a lista de características deste tablet salta à vista a grande capacidade da sua bateria, com os seus 7.000mAh!

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Screenshot

E de facto a bateria não desilude sendo que foi, provavelmente, o tablet com maior autonomia que já tive em mãos. Para terem uma ideia, consegui, com uma utilização moderada quase 5 dias de utilização com uma única carga. Isto incluiu ver os emails algumas vezes por dia, navegar um pouco na internet e jogar cerca de 1 horas todos os dias.

Numa utilização mais intensiva, com muitos dados 3G à mistura, consegue-se com alguma facilidade que o Galaxy Note 10.1 aguente dois dias o que é francamente bom.

Resumindo e concluindo

Cortando a direito, o Samsung Galaxy Note 10.1 é um dos melhores tablets Android que já experimentámos, senão mesmo o melhor. O seu poderoso processador, aliado a uma RAM que lhe dá margem de manobra e a um ecrã soberbo já por si dão argumentos interessantes a este tablet.

Teste RD - Samsung Galaxy Note 10.1: Ecrã Ligado

No entanto a adição da S-Pen traz todo um leque de possibilidades que fazem com que esta proposta da Samsung seja ainda mais interessante.

Um corpo com materiais de boa qualidade, um design agradável, um desempenho de topo, uma autonomia alargada e uma versatilidade ímpar fazem deste Samsung Galaxy Note 10.1 uma séria opção a ter em conta por todos os que procuram comprar um tablet.

Pontos a favor :)

  • Design;
  • S-Pen;
  • Autonomia;
  • Fluidez global;
  • Versatilidade;
  • Multi-Windows;

Pontos contra :(

  • Preço;
  • Browser por vezes envcrava;
  • Bateria não removível;
  • Conector proprietário para ligação ao PC;
Selo RD - Ouro

O que significa este selo?

Página oficial: Samsung Galaxy Note 10.1

E com isto chegámos (quase) ao fim da nossa review ao Galaxy Note 10.1. Ainda podem ver mais à frente a galeria de imagens assim como exemplos de fotos e vídeos tirados por este tablet. Espero que tenham gostado desta análise e que vos possa ser útil. Se tiverem alguma dúvida, sugestão ou crítica não hesitem em entrar em contacto connosco!

Galeria de imagens

Estas são as fotografias que foram tiradas ao Samsung Galaxy Note 10.1 durante a realização deste teste: